Andando na rua, os olhos se encontram, senti um frio enorme na barriga. Não sentia minhas pernas, nao conseguia mais andar… Parei, olhei para trás, e lá estava você já me esperando com um olhar brilhoso e confuso. Não conseguia me mecher. Senti algo novo dentro de mim, posso comprar esse sentimento com fogos de artificios. Eu estava queimando, mas ao mesmo tempo com a barriga congelada. Eu tava confuso. Até que o vi andando em minha direção, com os olhos fixados aos meus. Esqueci de respirar… Comecei a ficar tonto, acho que eu ia cair. Sinto um abraço forte, um cheiro hipnotizante, um corpo quente ao meu. Abraçei-o também, como se fosse a única pessoa nesse mundo. Meu coração palpitando ferosmente. Consegui respirar de novo, forte, ofegante. Ele me tirou do transe parando de me abraçar, segurou o meu rosto com as duas mãos quentes direcionando para o seu olhar de choro. Fixei meu olhar novamente. Era irreal. Ficava me martelando se tudo isso realmente era real, ou se eu estava sonhando… Até sentir seus lábios aos meus, sentir sua boca, seu beijo, seu sabor, seu aroma… Sim, era real. Começou a chover. Ouvi a chuva cair depressa, forte e pesada. Pessoas nas ruas correndo pra se abrigar e continuarem secas. Eu não, não mechi um centimetro do meu corpo. Continuei lá, todo molhado olhando pra ele. Novamente ele me abraça, e pela primeira vez pude escutar sua voz bem pertinho do meu ouvido “Você está sentindo a mesma coisa do que eu?”, ele estava meio choroso, eu também estava bastante emocionado. Mas eu, ao contrario dele, não conseguia falar. Apenas afirmei com a cabeça. Ele voltou a me abraçar bem forte. Percebi alí que conheci o amor da minha vida. Para toda a vida. Para todo o sempre… Continuei andando com ele na chuva sob a rua alagada, deserta. Contamos tudo sobre a vida um do outro, sem mentiras… Pode parecer surreal voce conhecer um estranho do nada… Mas ele nao me aparentava estranheza, muito pelo contrario, me sentia seguro, feliz, emocionado. Ele olha pra mim, aperta os olhos e fala “Você vai pra minha casa se trocar, então levo voce em casa. Você ta batendo os queixos de frio.” Só entao percebi que realmente tava todo me tremendo de frio. O observei para perceber se ele também estava com frio, mas não, ele tinha um corpo forte. Entrei no condominio dele, e pegamos o elevador, ele apertou 7. Quando entrei em seu apartamento, fiquei completamente paralizado. Era encantador… Os moveis, o tamanho, a vista. Tudo era perfeito. Naquele momento eu realmente duvidei se era verdade. Ele nao havia me contado que morava nisso! Fiquei totalmente com vergonha de entrar alí. Ele olhou pra trás e perguntou se eu estava bem, então me puxou para a sala e saiu em direção a algum quarto. Fiz um giro 360° em volta de mim, observando tudo, cada detalhe, cada movel, cada cor… Ele me assusta “Gostou?”, eu confirmei. Ele me deu uma blusa e uma bermuda dele, apontou para o banheiro. Entrei, tranquei a porta. Me sentia um bobo, um estranho. A ficha caíu. Era tudo verdade… Ele era perfeito. Me troquei. Cheguei na sala e ele também havia se trocado. Ele começou a me mostrar a casa, com seu braço sempre em volta de mim dando a entender que sou posse dele agora. Me sentia bem assim. Fomos pra garagem, entramos no carro, e ele me deixou em casa.  Anoiteceu, deitei em minha cama, ainda atordoado com esse maravilhoso dia, repassando cada minuto em minha cabeça…  Estava quase adormecendo, o celular toca. Era uma mensagem dele “Acho… Acho que estou apaixonado por você” . Não conseguia enxergar os botões do teclado para responde-lo, meus olhos estavam cheios de lágrimas…

Começo

“Despertador berrando”

Voce acorda, meio tonto ainda. Senta no meio da cama apoiado sobre os pés no chão. Primeiro pensamento do dia, “trabalhar”. Voce saí do mundo mágico de sonhos e fantasias e cai no mundo real.

“Segunda-feira?” Voce mesmo pergunta, voce mesmo responde…

Surge o ódio, seguido de uma revolta enorme sobre como Segundas-Feiras é uma tortura para o ser humano.

Você levanta da cama resmungando, se arruma para trabalhar resmungando, toma café resmungando, chega no trabalho resmungando “Oi, bom dia, como você tá?” , voce escuta essa pergunta e responde pra essa pessoa com apenas um olhar super hiper mega maligno. Essa é a pior pergunta que alguem pode te fazer quando voce chega no trabalho resmungando.

Duas horas depois você esquece que é Segunda-Feira, seu humor muda da água pro vinho, ser feliz é o que há.

Enfim… Te odeio SEGUNDA-FEIRA.